IRMANDADE

2010 enganjado e ressignificado ICH, sem termos executado prioritariamente o nosso maior foco de ação a partir da transmissão audiovisual pela internet fora dinamizado formação de laços e comunicação a partir de e-mails, chats, skype, blog e relações pessoais e humanas a exemplo do intercâmbio Empoderamento de Redes Sociais Para Política Pública de 02 a 17 de Agosto em Maputo/Moçambique intermediado pela Rede Ivoz representada por André Gustavo e colaboradores do projeto no país africano. Agradecemos aos parceiros e parceiras do lado de lá dessa coletiva rota.

O histórico programa InterConexões Humanas realizado 27/11 em São Paulo a conexão estabelecida no Centro Cultural da Juventude – Ruth Cardoso(CCJ), fomentou a aproximação e diálogo com 3 países (Angola/Brasil/Moçambique) de forma estável numa interlocução dinâmica, ordenada e participativa. O Teor dos diálogos transitaram pelas temáticas de HipHop, Literatura Marginal, Meio Ambiente, Colaboração e um Sarau, qual mobilizou ativistas dos países interessados nas possibilidades de trocas simbólicas e tangíveis propostas pela ação.

A ativação metodológica visam sempre o mapeamento, formação de laços e orientação para projetos autogestionários, a representatividade local e a diversidade cultural levem a gestão colaborativa de projetos que agreguem valor mutuamente.

De acordo com os preceitos praticados, segue rica colaboração do nosso respeitado parceiro, fotógrafo e pensador da rede Interconexões Humanas, Zito Bila:

IRMANDADE – Consolidando o Movimento Hip-Hop

Prometido é devido, Ai Vai:

Surgiu em Outobro de 2010 um movimento pró Hip Hop novo, que se dedica a promoção de Grupos de MC’s e Produtores, de Graffiteiros/Desenhadores e da Cultura Hip-Hop em geral. Chamam ao colectivo IRMANDADE – Consolidando O Movimento Hip Hop, constituido por grupos de Rapper’s Residentes no Bairro Central (BC Hood para os Rappers e aficionados) aqui da capital Maputo, nomeadamente das clicks Alizé, Bairro Negro e Mhuiyve Records e Coordenado por elementos dos três grupos: Os MC’s Shackal (Alizé), Stinky Soldier (Bairro Negro) e Tira-Teimas (Mhuiyve Records).

O nome IRMANDADE existe há pelo menos quatro anos, mas era apenas um grupo de amigos que comungava dos mesmos de ideais de paz, de fraternidade, de busca de conhecimento, de re-educação cívica e moral atraves da música RAP, sem descurar da boa e natural crítica politico-social (que caracteriza o Hip-Hop Underground desde sua gênese).

No entanto a tripla viu a necessidade de encetar outras actividades como membros activos da Sociedade Civil, que não fossem exclusivamente a produção e gravação de músicas, bem como a participação periódica nos poucos shows de Hip-Hop que se realizam na Capital. Imbuídos de um humanismo e por meios próprios, estes rapazes provaram uma vez mais serem capazes, mais ainda, quando os apoios e parceiros são poucos, e não tem muito interesse em promover o RAP crítico-educativo, alegando que ataca as elites governativas, ultimamente empresariais.

No entanto posso afirmar convictamente que os membros do colectivo criticam positivamente, até porque anseiam por mudança e desenvolvimento sócio-económico num Moçambique cada vez mais ‘’globalizado’’, com tendência a aumentar os níveis de exclusão social. ‘’Reppa-se’’ sobre se apostar na educação, na manutenção e divulgação de valores culturais locais, sobre a necessidade de se combater a corrupção, sobre a criminalidade que tende a aumentar, sobre o desemprego, e ainda se apresenta algumas ideias de como colmatar alguns dos problemas que afectam nosso povo.

Desde o dia 24 de Outubro, estes camaradas tem organizado e produzido, com o suporte na realização e na fotografia de Zito Bila, e de Face Oculta, uma série de espectáculos denominados Shows Beneficientes da Irmandade, que visam a angariação de doações individuais e institucionais, ou seja, em que cada espectador/participante traga um artigo de roupa ou de comida não perecível para assitir ao show, e ao mesmo tempo promove-se os MC’s e demais fazedores da cultura Hip-Hop da Periferia (de Magoanine, de Inhagoia, da Mafalala, da grande Matola, do Patrice Lumumba, da Polana Caniço, do Bairro do Aeroporto, Georg Dimitrov, etc, ) que não tem espaço para actuar no centro da Cidade.

Vejam e divulguem o material fotográfico de alguns (e os mais ‘’notáveis’’) participantes, juntamente com os respectivos perfis artísticos. Já se realizaram seis edições do evento. Um holler especial ao graffiteiro/Beatbox Fig de la Virgem e ao Tira-Teimas. Os manos Participaram na interconexão Moçambique-Brasil- Angola de 27 de Novembro útimo, e pretendem manter o contacto para exposição de seus trabalhos. Faço menção honrosa aos dois, porque dos muitos convidados a participar no CCBM (Centro Cultural Brasil-Moçambique) na sessão on-line do referido dia, apenas eles honraram a agenda dos trabalhos, e infelizmente ainda houve muita gente fazendo fé de que tal INTERCONEXÃO não se realizaria, o que acabou por desanimar alguns convidados. Tal pensamento, ainda que negativista, só nos estimulou a continuar e ainda que com uma exiguidade e deficit de material o encontro correu maravilhosamente.

Aproveito para agradecer mais uma vez à disponibilidade e apoio do CCBM que foi condiçao sine qua non para a realização da conferência tripartida Moçambique-Brasil- Angola. Um muito obrigado também a todo pessoal que trabalha no CCBM e que facilitou nossa estada lá. Parabéns e Kanimambo Ivoz (Instituto Voz) por uma inerconexão Humana que vale a pena expandir e perpetuar.

RAP = Ritmo, Arte & Paz

Agradecimentos Especiais: Iveth Marlene, Delfina Dança, Zito Bila, Helder Leonel, Leonildo Banze Dingzwayu e S’Gee Salvador Nkamate, Simba Sitoi e de Angola Simão Hossi



Que país é este? #ICH apresenta Moçambique

No próximo sábado 27/11 ocorrerá mais uma Interconexão Humana entre São Paulo e Maputo, promovendo o encontro entre produtores culturais e artistas brasileiros e moçambicanos com o objetivo de fomentar redes colaborativas e de trocas culturais entre a comunidade de países de lingua portuguesa CPLP.

Em São Paulo a conexão será estabelecida no Centro Cultural da Juventude – Ruth Cardoso(CCJ) e será aberto ao público interessado que poderá participar das discussões que envolverão  cada um dos blocos temáticos da programação: Literatura, HipHop, Redes Socias/Internet e Intercâmbio Brasil-Moçambique.

Sábado 27/11/2010

São Paulo / Brasil : 10:00 as 14:00 – CCJ (Centro Cultural da Juventude)

Maputo / Moçambique : 14:00 as 18:00 – CCBM (Centro Cultural Brasil-Moçambique)

Acompanhem Cobertura Colaborativa

Siga @ivoz e acompanhe a tag #ich no twitter

Fotos do Intercâmbio no Facebook e Programação

Confira também as publicações realizadas durante o intercâmbio de André Gustavo (a.k.a. DJ EmTranseGente), também pelo FaceBook.  Já temos as primeiras fotos postadas no álbum InterConexõesHumanas.

Visite, comente e acompanhe.  O projeto InterConexõesHumanas tem como principal objetivo aproximar artistas e educadores dos países de língua portuguesa e esperamos poder proporcionar inúmeras outras oportunidades de intercâmbio, mas, por hora, virtualmente já podemos prover uma pequena fresta no canal de comunicação entre Brasil e Moçambique.

” Esperemos que um dia isto se torne uma janela “

InterConectando Culturas

Um marco nas ações do projeto InterConexões Humanas foi iniciado com a viagem de um dos principais articuladores brasileiros desta rede, à convite da Liga Moçambicana dos Direitos Humanos (LDH), para a participação no evento de Empoderamento de Redes Sociais com ênfase nas possibilidades de produção colaborativa entre artistas e educadores dos países de língua portuguesa pelo incentivo ao acesso à internet e aos meios de produção de conteúdo digital.

Por meio do Edital de Intercâmbio, do Ministério da Cultura, André Gustavo, vulgo DJ EmTranseGente, cruzou o Atlântico a fim de estreitar ainda mais os laços que esta iniciativa tem criado ao longo de seus breves dois anos.

Parabéns a todos os angolanos, brasileiros e moçambicanos que, juntos, constróem esta rede.

Acompanhem os posts neste blog, pelo twitter, facebook e flickr.  Convidamos a todos a interagir e compartilhar deste momento tão importante para a aproximação entre os países.

iVoz no International Visitors

O associado do iVoz e responsável pela rede angolana do projeto InterConexões Humanas, Simão Hossi, foi selecionado pelo governo dos EUA para viajar e participar de um encontro de jovens lideranças mundiais para capacitação no programa “International Visitors” que neste ano abordará o tema Voluntariado: Unidos Servimos.

Após processo de seleção em Angola, no dia 01 de abril o embaixador americano em Luanda Dan Mozena, solicitou visita oficial em que discutiram política, desenvolvimento social e efetivou o convite para a participação no programa.

Durante a visita aos EUA, nosso companheiro Simão Hossi viajará a Washington DC, Indianápolis, Nova York e São Francisco para uma série de capacitações e visitas a centros de referência do voluntariado em que haverá o compartilhamento das experiências americanas em envolver diversos setores da sociedade com a finalidade de gerar mudança social.

Como se sabe, os EUA são referência mundial em voluntariado e este programa propicia a oportunidade de apresentações da história deste desenvolvimento, arranjos organizacionais que propiciam o envolvimento do setor público, privado e da sociedade civil na realização de ações de intervenção comunitária e responsabilidade social.

Esta iniciativa premia o trabalho de Simão Hossi em sua atuação ligada a Gênero e Violência contra a Mulher e amplia seus horizontes através da capacitação recebida e de sua inserção em novas redes com abrangência global.

Após seu período de intercâmbio em São Paulo as fronteiras se expandiram para nosso companheiro e o mundo parece cada vez menor frente a sua vontade de aprimorar suas habilidades de líderença social, que tem grande influência em sua família de brasileiros do iVoz.

Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural – MinC/Brasil

A iniciativa, coordenada pela Secretaria de Incentivo e Fomento à Cultura (Sefic/MinC), visa apoiar, mediante o custeio das despesas de transporte, a participação de artistas, técnicos e estudiosos da área cultural convidados a participar de eventos fora do seu local de residência.

 As propostas de participação devem objetivar a apresentação de trabalho próprio, residência artística ou curso de capacitação, e o evento deve ser promovido por instituição brasileira ou estrangeira, de reconhecido mérito, desde que não seja apoiado ou realizado pelo MinC, ou por uma de suas instituições vinculadas.

 Podem se inscrever pessoas físicas, grupos ou entidades culturais privadas e sem finalidade lucrativa, cujas candidaturas serão divididas em solicitações de grupo e solicitações individuais, concorrendo separadamente. Apenas no caso dessas últimas poderão ser apresentados pedidos para residência artística ou curso de capacitação de profissionais da cultura.

A concessão do apoio financeiro será viabilizada com recursos oriundos do Fundo Nacional de Cultura (FNC), com aporte de R$ 1.900.000,00 (um milhão e novecentos mil reais) e estará condicionada à disponibilidade orçamentária e financeira do Ministério da Cultura.

para maiores informações acesse aqui.